Denis O’Hare adora ser odiado em ‘American Horror Story’

Você espera encontrá-lo coberto de sangue.

Ou segurando um membro decepado.

Em um dia típico no set de American Horror Story: Freak Show, tudo o que Denis O'Hare tem é uma jaqueta pendurada em seus dedos (que estão, aliás, intactos).



Eu gostaria de poder relatar algo sangrento, diz o homem que interpretou Stanley, Spalding e Larry Harvey em American Horror Story ao longo das várias temporadas na FX.

Há uma forte conexão entre esta temporada e outra temporada, que se manifestará, diz ele. Eu não sei qual é o plano quando se trata de conexão. O tempo vai dizer.

Os fãs sabem que durante a temporada passada, chamada Coven, sua língua foi cortada por razões indizíveis. Quanto a esta temporada, ele diz, eu sou um grande vigarista. Eu sou o cara que não pega carteira. Ele diz: ‘Ei, abra sua carteira. Dê-me os 10 dólares. Dê tudo para mim. 'É um tipo diferente de loucura.

Os fãs parecem igualmente assustados. Estive em Chicago recentemente e acabei de passar por um restaurante. Olhei para dentro e uma mulher começou a gritar. Fiquei meio emocionado, diz ele, rindo.

Ele faz parte da loucura do cinema em The Pyramid, com estreia sexta-feira. É sobre uma equipe arqueológica tentando desvendar os segredos de um templo recém-descoberto. Criaturas que não querem visitantes humanos interrompem a busca.

Curiosamente, meu personagem é tão direto. Não estou bancando o monstro, diz ele. Esses personagens são sempre mais difíceis. Não há uma alça óbvia para se agarrar, então é um verdadeiro desafio de atuação.

Ele acrescenta: O filme tem um enorme componente psicológico. A relação entre os personagens é tão importante quanto o terror. Quanto pior as coisas ficam, o grupo começa a se fragmentar e você sente a tensão e a perda.

O que mais o assusta? Eu definitivamente tenho uma coisa sobre não ser capaz de respirar, diz ele. Quer isso signifique as mãos de alguém em volta do meu pescoço ou um espaço cada vez menor, estou seriamente com medo.

Claro, tenho certeza que morreria de um ataque cardíaco antes de sufocar, refletiu o nativo de Kansas City que se formou na Northwestern University e cumpriu pena no True Blood da HBO. O'Hare passou 12 anos trabalhando no teatro de Chicago. É uma cidade ótima e habitável, diz ele. Adoro andar de bicicleta à beira do lago. Em Chicago, você tem bons restaurantes, bons bairros e muito espírito.

O'Hare co-escreveu uma peça chamada The Good Book, que estréia em março no Court Theatre de Chicago. É sobre como a Bíblia veio a ser a Bíblia, disse ele.

Controverso?

Trabalhamos com uma estudiosa da Bíblia e ela disse: ‘Você vai ofender a todos. Então supere isso.

Nosso mais novo problema é que não achamos que estamos ofendendo as pessoas o suficiente. Escrevemos essas cenas e pensamos: 'Você não está com raiva?'

Seus fãs do Freak Show não param. Receberei tweets dizendo: ‘Eu te odeio’. Eu sei que fiz meu trabalho naquela semana, ele diz rindo.